segunda-feira, 17 de abril de 2017

PENAMACOR E IDANHA ASSINALAM DIA DOS MONUMENTOS



Rádio Cova da Beira

O dia internacional dos monumentos e sítios vai ser celebrado a 18 de Abril. Em Penamacor a iniciativa vai ser assinalada em parceria pela câmara municipal e pela santa casa da misericórdia. Em Idanha-a-Nova as celebrações vão decorrer no âmbito da festa de São Roque, no Rosmaninhal.

A iniciativa vai estar inserida ainda nas comemorações do ciclo pascal e onde vai apresentado o programa de salvaguarda dos mistérios da Páscoa em Idanha e do pedido de registo na lista das melhores práticas da Unesco.

Em Penamacor a data vai ser assinalada nos dias 22 e 23 de Abril com várias actividades. No primeiro dia vão ser efectuadas visitas ao arqueossitio do atalho, na Canadinha e ao museu Mário Bento, na Meimoa, terminando com uma conversa partilhada sobre turismo e património no concelho de Penamacor. 

No dia 23 de Abril vai decorrer um “peddy paper” arqueológico na vila, com crianças dos escuteiros e do instituto social cristão Pina Ferraz, mas também aberto ao público, com inscrições prévias até dia 18 de Abril. 

Autor: Nuno Miguel in "Rádio Cova da Beira"

PENAMACOR: ROMARIA DE NOSSA SENHORA DO INCENSO

Rádio Cova da Beira

O Bispo de Aveiro preside esta segunda-feira, pelas 12:30H, à Eucaristia da romaria de Nossa Senhora do Incenso. D. António Monteiro é natural de Aldeia de João Pires, freguesia do concelho de Penamacor.

A dois quilómetros de Penamacor localiza-se o santuário de Nossa Senhora do Incenso, a poente da vila, junto à estrada Fundão / Covilhã. A romaria continua a ser muito importante para o concelho, realiza-se na segunda-feira de Páscoa, e é neste dia que os penamacorenses assinalam o Feriado Municipal.

Autor: Paulo Pinheiro in "Rádio Cova da Beira"

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Bar/restaurante do Quartel encerra em Penamacor

Bar/restaurante do Quartel encerra em Penamacor

O Bar/restaurante do Quartel na vila e Penamacor encerrou portas, ontem, sem aviso prévio.
O estabelecimento da propriedade da Câmara Municipal penamacorense, mas com a exploração concessionada a João Lourenço, apanhou de surpresa os seus utilizadores, com o encerramento súbito e inesperado, desconhecendo-se até ao momento os motivos do mesmo.
Apesar das tentativas, não foi possível até ao momento chegar à fala com os referidos concessionários.
*Com Luís Seguro

Autor: José Lagiosa in "Beiranews"

Exposição de arte urbana de Roberto Astudillo Berrio nos Paços do Concelho de Penamacor

Exposição de arte urbana de Roberto Astudillo Berrio nos Paços do Concelho de Penamacor

Uma exposição de arte urbana do artista espanhol Roberto Astudillo Berrio, autodidata, natural de Bilbao (1968), está patente até dia 28 nos Paços do Concelho de Penamacor, no horário de funcionamento da Câmara desta vila.
Roberto Astudillo Berrio, que passou grande parte da sua infância em Valverde del Fresno, na raia espanhola, a cerca de três dezenas de quilómetros de Penamacor, começou, aos 12 anos, a trabalhar a madeira, esculpindo cascos de barcos, e, aos 20 anos, a trabalhar a argila como “forma de relaxamento e motivação”.
O artista, que tem participado em várias exposições e concursos, tanto no seu país, como em Portugal, trabalha atualmente o ferro, a pedra e elabora várias composições com materiais reciclados, expondo nesta mostra três dezenas dessas peças.
*Lusa

Autor: José Lagiosa in "Beiranews"

segunda-feira, 10 de abril de 2017

“FALTA UM RUMO ESTRATÉGICO A PENAMACOR”

Rádio Cova da Beira

A frase resume o balanço que o vereador da oposição, Pedro Folgado, faz do mandato da maioria socialista à frente do município “esse é um dos pecados capitais do executivo, é não se conseguir identificar uma estratégia de desenvolvimento para o concelho.”


Segundo o vereador da coligação “Juntos por Penamacor”, e passados quatro anos, “continuamos ainda hoje sem ter uma orientação estratégica para a fixação de pessoas, para a promoção da natalidade, para a geração de emprego e continuamos sem uma orientação política que seja para a juventude, ora isto num dos concelhos mais envelhecidos do país, é dramático”.
Em entrevista à RCB, Pedro Folgado enumera ainda outros pecados cometidos pela maioria liderada por António Beites. A começar pelo processo do Hotel que, a seis meses do fim do mandato, ainda não está resolvido “a aquisição do antigo imóvel Nossa Senhora do Incenso é outro pecado, foi um investimento avultadíssimo do município e até à data sem qualquer utilidade, o arranjo em frente à câmara municipal não seria, do nosso ponto de vista, prioritário, ou por exemplo o montante gasto na aquisição dos imóveis para o largo do madeiro, a obra está bem, mas o montante pago por aqueles imóveis foi excessivo”.
O autarca enumerou também os aspectos positivos do mandato, marcado pela resolução da situação financeira herdada do anterior executivo. Um passado de que a actual maioria não se pode demarcar uma vez que há um membro do executivo que transitou o anterior e os restantes assumiram no passado outras responsabilidades, todos sob a sigla do PS “a grande responsabilidade é do PS não tenhamos ilusões disso, aliás desde o inicio dos anos 80 até agora, com o breve intervalo de 2001 com um movimento independente que foi sol de pouca dura, foi o PS o grande responsável pela condução dos destinos políticos do concelho de Penamacor, e portanto, se estamos no ponto que estamos a responsabilidade é do Partido Socialista”.
Segundo Pedro Folgado há uma obra na vila, o salão paroquial, que exemplifica bem o que se passou no concelho sob a gestão socialista “essa obra, além de ser emblemática de um passado recente, ainda hoje é o maior cancro que temos na vila de Penamacor. O que eu acho é que foi um erro começar-se a intervenção sem ter a garantia de todo o investimento, e agora quem paga são os munícipes porque não têm um espaço com as características que o salão tinha, já foi lá investido um elevado montante do erário público e a verdade é que continua fechado e a obra incompleta”.

Autora: Paula Brito in "Rádio Cova da Beira"